sexta-feira, 11 de maio de 2012

Sarkozy e as uvas

      Faminta, a raposa foi até um vinhedo sabendo que ia encontrar muita uva (pois a safra tinha sido ótima). Vendo as parreiras cobertas de grandes cachos, a raposa lambeu os beiços. Porém, por mais esforço que fizesse, não conseguiu alcançar as frutas. Cansada do esforço inútil, desistiu das uvas, dizendo: "Por mim, quem quiser que fique com essas uvas. Não as quero, estão verdes, azedas. Ainda que me dessem, não as comeria".

       Conforme noticiado pela Agência Ansa, tão logo tomou conhecimento de que as pesquisas de boca de urna já o davam como perdedor das eleições presidenciais francesas, Nicolas Sarkozy, explodiu com seus assessores. "Perder é sempre difícil, mas pensar que vamos deixar os socialistas administrarem esse monte de merda tem algo de delicioso", disse o presidente aos mais fiéis correligionários, sem ser gravado, na noite da derrota. "A transição deve acontecer o mais rápido possível. E depois, viva a vida verdadeira", teria ainda acrescentado.

2 comentários:

  1. aldema ( www.correndomundo.blogspot.com )11 de maio de 2012 17:20

    Leio, com prazer,os teus textos.São bonitos.Gosto deles

    ResponderExcluir
  2. Esopo "chupado" por La Fontaine, continua mais atual do que os sertanejos universitários.
    As uvas do Sarkozy se transformaram num "monte de merda", por incompetência dele, veja o botox da Carla.
    No caso dele voltar à "vida verdadeira", faz sentido, dentro de um palácio (cheio de mordomia) a vida é uma mentira.

    ResponderExcluir