terça-feira, 14 de agosto de 2012

Plantão de polícia

       Desde o dia 23 de maio Paolo Gabriele encontra-se cumprindo prisão domiciliar no Vaticano. Gabriele será levado a júri popular sob a acusação de, enquanto mordomo do Papa, ter "vazado" informações confidenciais sobre o patrão. Também é acusado do furto de um singelo cheque de 100 mil euros e de uma reluzente pepita de ouro que o pontífice havia recebido como presentes. Pode pegar uma pena de um a seis anos de cana, ficando eventual perdão a critério da Santidade.
       Como diz o velho ditado: "ladrão que rouba ladrão, tem cem anos de perdão".

Finalmente o Papa Ben Cartwright
acabou entregando o ouro para o bandido

2 comentários:

  1. É a "Síndrome de Nicéa" chegando(quase)ao céu. E o "culpado" continua sendo o mordomo, que falta de criatividade, hein?

    ResponderExcluir