quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Tiros em Columbine (de novo e até a próxima...)

Hoje eu e a Nanda fomos almoçar no restaurante que frequentamos desde que casamos, portanto há 19 anos. Lá, somos "de casa", amigos dos donos e das funcionárias. Ocorre que, por esses azares da vida, fiquei sentado exatamente de costas para um cara que almoçava na mesa mais próxima. Não sei quem é (nem quero saber!). Só sei que, para os que o acompanhavam (e, pelo tom de voz dele, para todos os demais presentes no restaurante), defendeu a necessidade de se ter armas, repetindo o chavão: "desarmaram o cidadão de bem e deixaram o vagabundo armado!".

Fiquei com azia. 

Segundo a Agência Reuters noticiou nesta semana, em todo território dos Estados Unidos "feiras de armas" ficaram lotadas de gente interessada em comprar "armas de assalto". Temem que, em decorrência do mais recente massacre de crianças em uma escola  de Connecticut, sejam adotadas, por parte do governo, medidas que restrinjam ou até proíbam a comercialização desse tipo de armamento. Consta que longas filas se formaram por cidadãos decididos a levar para casa, mesmo que por valores elevadíssimos, rifles de repetição. Os estoques se esgotaram rapidamente.

Uma dessas armas, uma AR-15, foi utilizada por Adam Lanza para chacinar a própria mãe, professores e alunos da escola de Connecticut. A mãe do nerd psicopata era a proprietária dessa (e das pistolas) usadas pelo filho no dia 14 de dezembro. Tratava-se de armamento comprado pela Sra. Lanza da mesma forma que aquelas adquiridas por seus conterrâneos nesses dias pós-massacre (todas pessoas de bem, na definição do meu indigesto vizinho de almoço).

A National Rifle Association (fabuloso lobby da indústria armamentista yankee a favor "dos direitos de possuir armas") sugeriu - diante dos recentes acontecimentos por aquelas bandas -  que guardas armados sejam colocados em cada escola. Ideia bestial! 

Queima suco gástrico!



Conforme esclarece a Reuters, "arma de assalto" é a designação genérica de qualquer arma semiautomática ou automática capaz de efetuar múltiplos tiros rapidamente. Entre 1994 e 2004 algumas dessas armas de assalto e respectivos pentes de munição com mais de 10 balas eram considerados ilegais. Porém, sintomaticamente, tal proibição expirou na época em que George W. Bush estava na Casa Branca.

ET: na página em que achei a foto das "belezinhas aí de cima" (e que faço questão de aqui não indicar) li: "No mundo, existem países que são democráticos de verdade e onde o cidadão pode comprar o melhor instrumento para se defender e não são impostas limitações ingênuas e sem sentido, como a que limita os calibres em 38 ou 380. Nos Estados Unidos, por exemplo, o calibre 380, que no Brasil é a sensação das lojas de armas, é considerado o menor calibre que alguma pessoa pode usar com alguma eficiência, devido ao seu fraquíssimo poder de parada".
Está certo: foi assim que eles, da "maior democracia" começaram se "defendendo" dos índios...

6 comentários:

  1. "Melhor do que um homem mau armado é um homem bom armado", palavras do presidente da Associação Nacional do Rifle, por isso tu e o Vaz poderiam carregar uma AR-15 a tiracolo.
    Em um restaurante não jamais serias incomodado por uma azia repentina, inclusive mais bem sevido do que imaginas.
    Na "maior democracia do mundo" o melhor argumento sempre será diretamente proporcional ao maior calibre, quem se atreve a contrapor uma ideia por mais substanciosa que seja?
    Teu vizinho de mesa saca mais rápido do que Billy the Kid ou Hopallong Cassidy ?

    ResponderExcluir
  2. ... não vi, mas garanto que ele comia e falava com a boca cheia.

    ResponderExcluir
  3. Já pensaste no Medina, em pleno trânsito com uma dessas? naquele dia em que vocês me sequestraram em casa para votar na faculdade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A força tarefa foi te buscar em casa, em dia de votação para a direção do CAFV. Tu saíste da cama, com a garanta inflamada. Tudo pelo voto decisivo! No caminho para a "Casa de Bruno", na Barroso com Neto, um barbeiro cortou a preferencial do Corcel II verde pilotado pelo intrépido Claudio Medina. Porrada!!!!! E o carro era do irmão do Claudio. Será que perdemos o pleito por um voto?

      Excluir
  4. Fala Professor...

    Rapaz, tirando essa tragédia e em respeito aos mortos, acho que o fundo disso tudo pode-se culpar o egoísmo humano, a mãe de todos os vícios. O base religiosa calvinista sempre impôs essa ideia que "você pode melhorar com seu próprio esforço", assim sendo, aqueles que não "melhoram de vida" são definidos como fracassados. Criou-se a defesa da propriedade e de tudo aquilo que foi conquistado "com o suor do trabalho". Igual a "conquista do oeste" dos filmes da TV. Isso foi forjado na mente americana, abrindo margem para a criação do chamado WASP (White, Anglo-Saxon and Protestant)lá nos anos 50.

    O interessante é que não existem mais índios, a Segunda Guerra Mundial já terminou a quase 70 anos, o comunismo se foi com a guerra fria e sobrou agora o "terrorismo".

    Qual a melhor maneira de se defender dos "fracassados" de hoje de dentro dos EUA? Armas...

    Pior é quando um desses "fracassado" é branco, anglo saxão e protestante...

    E como nós somos macacos de circo, imitamos a ideia americana..

    Bela reflexão. Abraço Marcelo Caju.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perfeito, Caju! "Losers", como até por aqui já se diz...

      Excluir